sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Edu Malaveia, paixão pelo rádio, loucuras ao volante do Simca envenenado


Luiz Eduardo de Melo e Silva (foto), radialista, comunicador, administrador, ex-piloto de competições automobilísticas, um bon vivant, este o Edu Malaveia, um dos mais antigos moradores da Cidade Jardim, o bairro que rompeu as barreiras da avenida do Contorno com suas mansões, casas modernas e vilas em estilo mediterrâneo.

Edu Malaveia continua apaixonado pelo rádio a ainda agora se dedica à EloFm, 87,9, uma rádio comunitária na zona sul de Belo Horizonte de boa penetração especialmente na internet e entre as classes A/B. Visite o site da EloFM http://www.elofm.com.br/

Malaveia sabe tudo sobre rádio. Até escreveu o livro “Plenimusica – Memórias de um ouvinte de rádio malcomportado”, editado em 2006, e que fala especialmente do surgimento das rádios musicais, como a Mineira, em Belo Horizonte, a Tamoio, no Rio, e a Difusora, em São Paulo.

A paixão pelos carros envenenados teve seu ápice em 1969, quando Edu Malaveia disputou o I Prêmio Cidade de BH com seu Simca número 96.

O Simca era o único com rádio instalado para que ele ouvisse música enquanto contornava em desabalada carreira, com a porta do passageiro aberta, o entorno do estádio do Mineirão, onde foi disputada a corrida. 

Aliás vencida pelo Toninho da Matta, com o Opala 21.Assista ao vídeo da corrida aqui http://mestrejoca.blogspot.com.br/2009/05/i-premio-cidade-de-bh-1969.html


8 comentários:

  1. Carlito da Amôndega2 de outubro de 2015 15:42

    Fiquei até emocionado em relembrar os tempos da Mineira, Jovem Guarda e e dos "pegas" nos tobogãs de BH. Eu estive nesta corrida do Mineirão Abração pro Malavéia.

    ResponderExcluir
  2. Legal ,Carlito. Realmente ficava muito emocionado quando ouvia o repertório da Plenimúsica da Rádio Mineira ou quando acelerava pelos tobogãs de BH e autódromo oficial no anel externo do Mineirão. Alias as duas coisas, música e automobilismo, estavam muito ligadas a época . Numa influência q veio dos tempos de James Dean, a Jovem Guarda, associava o sucesso com as garotas, com a velocidade. "por isto eu corro demais ,só pra te ver meu bem" ou "parei na contramão" , "desci a rua Augusta a 120 por hora" e tantas outras cações daquele tempo.Um grande abraço para você também. .

    ResponderExcluir
  3. Conheci o Edu há pouco tempo na rádio Elo FM e já me considero seu "amigo de infância". Edu é um cara especial, dedicado, sempre pronto para os amigos. Ele não assinou, mas o comentário anônimo acima é dele. Grande abraço Edu Malaveia. Ah. Hora dessas vc precisa entrar aqui e explicar o porque do apelido, vc que tem nome e tradição da antiga familia imperial dos Bragança.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Eustáquio, parabéns Edu! Edu grande companheiro na ELO FM. E ele tem muitas histórias prá contar... Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Eustáquio, parabéns Edu! Edu grande companheiro na ELO FM. E ele tem muitas histórias prá contar... Grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. LUIZ EDUARDO DE MELO E SILVA4 de outubro de 2015 07:57

    A história e cumprida, mas a turma dos "malaveia" se reunia no antigo Xodó e restaurante Porão ,próximo a praça da Liberdade. Dali saiam para corridas noturnas, como o troféu Hevécio Arantes, uma "homenagem ao então diretor do DET, departamento de tránsito. Frequentavam por la nomes como : "Nelsinho Demente, Kid Cabeleira, Toninho da Matta , eu e muitos outros. . O João Malaveia porl lá aparecia, sempre com uma Mala surrada na mão, de onde tirava as cobiçadas na época, calças Lee e Lewis importadas para vender. Foi o primeiro a ganhar o apelido, que logo se espalhou para quase a turma toda. O que mais aprontou foi o Zé Maria , o Zé Malaveia que teve inclusive que mudar do pais.Mas isto dá uma história grande, noutra oportunidade eu conto...

    ResponderExcluir
  7. LUIZ EDUARDO DE MELO E SILVA4 de outubro de 2015 08:34

    história cOmprida....ops...desculpe

    ResponderExcluir
  8. Por indicação do meu amigo Edu Malaveia, visitei hoje seu blog, Eustáquio. Parabéns! De muito bom gosto! Curto muito este estilo de escrita (crônicas) e até me atrevo a me enveredar por este terreno de vez em quando, apesar das minhas limitadas habilidades para tal. Vibrei com o posto do Edu, porque tenho o privilégio de tê-lo como amigo e aos poucos vou conhecendo suas "epopéias" sempre tendo como plano de fundo, o rádio! Me extasiei com a leitura do livro “Plenimusica – Memórias de um ouvinte de rádio malcomportado”, e quando passo um dia sem falar pelo menos umas duas ou três vezes com o Malaveia, sinto que faltou algo...rsrsrs. Grande abraço Eustaquio e que bom que registrou aqui a passagem desta "figura carimbada", que é o Edu.

    ResponderExcluir