terça-feira, 25 de novembro de 2014

As Impressões de Gustavo Penna, nesta quinta, na Academia de Letras

O renomado arquiteto mineiro Gustavo Penna (foto) lança nesta quinta-feira, dia 27, a partir das 18h30m, na Academia Mineira de Letras, na rua da Bahia, o livro Arquitetura Gustavo Penna Impressões, no qual mostra suas obras e fala um pouco de sua vida, em 40 anos dedicados à arquitetura.

Dividido em três cadernos temáticos, “Arquitetura Gustavo Penna Impressões” joga luz no processo criativo do arquiteto, passando pelas referências, projetos e resultado final.

“A concepção do livro é inspirada na escada Ventura, uma obra conceitual, e sua estrutura é refletida em conteúdo e forma do livro”, afirma Beatriz Magalhães, coautora da obra, escrita em parceria com Gustavo Penna a partir de uma extensa entrevista com o arquiteto.

A primeira parte do livro compila as referências estéticas e recordações afetivas de Penna, numa miscelânea de imagens intitulada “Fragmentos da Memória”; o segundo caderno diz respeito ao processo criativo do arquiteto, no qual descreve seus rumos, e, ao final, são apresentadas diversas obras do escritório.

“Arquitetura Gustavo Penna Impressões” tem projeto gráfico inovador de Guili Seara, e edição limitada de luxo.


Gustavo Penna está elaborando o projeto do Novo Parque da Barragem Santa Lúcia e deve entregá-lo pronto no início de 2015, quando será executado em regime de Parceria Público Privada, empresas e Prefeitura de Belo Horizonte.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Hyper, a Raposinha do Ártico, agita as manhãs no Parque


O nome dela é Hyper, em inglês, já que nasceu em Nova York e veio para o Brasil aos dois anos. Impossível de não ser notada quando chega ao Parque, toda branquinha e cheirosa. Apesar de ser pequena, chama a atenção pelo porte elegante, uma característica da raça.

Avesso à fotos, seu proprietário, o publicitário Kleber Carvalho Valadão, prefere exibir a sua  Raposinha do Ártico, uma versão em pequeno porte da Raposa do Ártico, animal que sobrevive nas terras geladas do Polo Norte se alimentando das sobras das focas caçadas pelos ursos polares, a quem acompanham sempre, a uma prudente distância de uns 200 metros.

Hyper já tem 13 anos e conserva as características da raça: não é muito dócil, é agitada, muito veloz e tem um quê de selvagem, segundo Kleber: devora a comida em questão de segundos, por exemplo, sempre olhando para os lados, desconfiada.

Sua ração é especial: tem de ter o cheiro e o gosto de peixe. Quando não está caminhando pela pista do Parque ao lado de seu dono, Hyper geralmente é vista pelas ruas do Bairro Luxemburgo, onde mora o publicitário, proprietário da agência KVC. (post Tetê Rios)

domingo, 23 de novembro de 2014

Gecilda Bayer, chimarrão, tererê, banquetes e geleias. Mas que delícia.


Há mais de 20 anos morando em Minas, a gaúcha Gecilda Bayer (foto) não perdeu o sotaque sulista, com aquele “erre” carregado que logo denuncia as suas origens.

Moradora do São Bento, casada com o empresário Antônio de Pádua Souto Bastos, esta bisneta de alemães é, antes de tudo, uma afamada banqueteira e também uma quituteira de mão cheia.

Basta encomendar que ela faz desde jantares da mais fina culinária francesa a doces típicos da cozinha alemã, como o strudel, aos bem mineiros, como a compota de figo. 

Sem falar nas suas reconhecidas geleias, especialmente a de bergamota, a mexerica que chamamos por aqui de carioquinha.

Gecilda tem saudades das rodas de chimarrão do Sul do Brasil: “tomar chimarrão sozinha não tem graça”, explica, ela, que, apesar disso, mantém sua cuia para tomar o chá com gosto amargo, que, nos dias quentes de verão, é feito com água fria, e se chama tererê.

Seu marido também é famoso pelos móveis produzidos a partir de madeira de demolição, em sua Arte Passado, muito requisitado e conhecido no meio do décor em BH. (post Tetê Rios) 

sábado, 22 de novembro de 2014

Mariângela, a fisioterapeuta atua nas articulações


Mariângela Costa (foto) é fisioterapeuta da Fundação Hemominas, referência nacional quando o assunto é sangue, do diagnóstico ao tratamento.

Ela integra uma equipe multidisciplinar do ambulatório muitíssimo bem equipado para atender portadores de qualquer alteração na coagulação do sangue. As doenças mais comuns são a hemofilia e a anemia falciforme.

São médicos - hematologistas, clínicos gerais, infectologistas, ortopedistas - dentistas, pedagogos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, farmacêuticos e fisioterapeutas, todos envolvidos na busca da saúde para esta parcela da população.

Mariângela atua especialmente na área de ortopedia, tratando de pacientes que têm sangramento nas articulações e que sofrem com dores amenizadas pelos exercícios físicos especiais.

Aos fins de semana, ela gosta de caminhar pelas praças e parques de BH, especialmente a Praça da Liberdade, a Praça JK e, é claro, o Parque da Barragem, que fica pertinho de sua casa.

O Hemominas vai fazer 30 anos em 2015 e, além de conscientizar a população sobre a importância da doação voluntária de sangue, promove a proteção da saúde do doador, a produção de hemocomponentes seguros, o atendimento a pessoas com doenças hematológicas e o desenvolvimento de pesquisa e ensino. (post Tetê Rios)

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Pitangas, mangas e biguás, o parque se renova


O Parque da Barragem Santa Lúcia está revigorado depois destas primeiras chuvas, mais verde, mais frutos, mais pássaros, até mais peixes.

A pitangueira tem resistido à meninada ali perto das quadras e parquinho infantil, talvez por não ter sido notada. Tem alimentado os pássaros, que, estes sim, tem estado por ali o dia inteiro.

As mangas estão começando a amarelar, naquelas duas mangueiras centenárias junto ao monumento ao jornalista Eduardo Couri, que dá nome ao parque.


As fotos mostram a pitangueira, as mangas, pássaros, um biguá em pleno exercício de engolir um peixe vivo.




quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Silvana está contente com o mercado. Ela vende água mineral


A empresária Silvana Amaral (foto) é uma habitué do Parque da Barragem nos fins de semana, quando aproveita para caminhar e curtir a paisagem, longe do estresse do dia a dia.

Neste último domingo, no entanto, ela sentiu que o Parque estava um pouco descuidado, meio sujo, e reclamava ainda do estado em que estão os bancos, inspirados na arte do consagrado artista plástico espanhol Antoni Gaudí, um dos ícones do modernismo.

Silvana trabalha na área de distribuição de água mineral para indústrias de Contagem, e diz que o aumento da demanda se deve, principalmente, ao verão, que já está aí, e não à falta do precioso líquido, ao contrário do que ocorre em terras paulistas. (post Tetê Rios)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Alimentos congelados são saudáveis e não perdem nutrientes

Coma Bem

José Carlos Scott Varella *


Diversos estudos mostram que alimentos processados e congelados da forma correta perdem pouquíssimos nutrientes em relação aos alimentos frescos

Nas carnes, aves e peixes o congelamento não afeta o conteúdo de proteínas, vitaminas e minerais. A desprezível perda ocorreria durante o processo de descongelamento, ou seja, no derretimento da água.

Uma vez congelado dentro da técnica correta e conservado a menos 18 graus celcius, o desenvolvimento de micro-organismos e o conseqüente processo de deterioração são drasticamente retardados

Sem conservantes os alimentos podem permanecer congelados por até 6 meses.

Para descongelar, cada tipo de alimento tem suas especificidades.

Tortas, bolos, doces e frutas devem ser mantidos fora da geladeira. Carnes, aves, peixes e massas devem ser descongelados diretamente no microondas ou em forno comum ou em banho-maria. 

Não tenha receio. O congelado tem gosto e é saudável.

*Proprietário da franquia Telu Congelados Diferentes, unidade Cidade Jardim


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Futebol de várzea levanta poeira e leva emoção ao parque


Bem que os meninos tentaram, mas não deu. Mesmo com a reza antes do jogo, o Ás de Ouro Futebol Club foi derrotado por 2X0 pelo Inconfidência, que agora vai disputar a finalíssima do Campeonato Amador de Juniores de BH com o Roma que, por sua vez, venceu o Mineirinho.

As partidas movimentam a quadra do Parque da Barragem aos domingos, e muitos caminhantes, amantes do futebol, chegam a interromper os exercícios físicos para contemplar as jogadas.

O treinador do Ás de Ouro FC, Bruno Vitor (foto) ao lado do preparador físico Daniel Caetano de Carvalho, levam a sério o time, fundado em dezembro de 1982 no Bairro Alto Vera Cruz. 

O Campeonato de Futebol Amador (CFA) na categoria Juniores reúne 24 times, com jogadores de até os 20 anos de idade. (post Tetê Rios)