quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Dos EUA para o Parque, Mary Kay chegou com peeling de cristal


Luciene Soares e Uiara Sousa (foto) são consultoras da Mary Kay, a famosa marca de cosméticos norte-americana que conquistou as brasileiras e as mulheres de outros 35 países, onde marca presença desde a sua fundação, há meio século.

Criativas, as duas, moradoras do Santa Lúcia resolveram conquistar novos clientes aos sábados, montando um espaço de beleza ao lado da barraca do açaí. 

As mesinhas e cadeiras foram cedidas pelo Tião, o proprietário das barracas do açaí e do coco.

E ali as consultoras oferecem limpezas de pele gratuitas, peeling de cristal e ainda dão dicas de maquiagem. 

Os resultados do corpo a corpo têm sido excelentes, comemoram. Segundo elas, as mulheres conhecem a marca, mas muitas nunca experimentaram os produtos, que ficam ali, à mostra, para serem manuseados, cheirados, usados.

Além de vários contatos, elas já concretizaram boas vendas, principalmente de bases e batons, dois carros-chefe da grife. 

As consultoras atendem em domicílio, e podem ser contactadas pelos telefones 7348-1988 (Tim) ou 8810-3053 (Oi). (post Tetê Rios)

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Paula Peixoto, a fisioterapeuta virou engenheira


Paula Peixoto (foto) fez uma mudança radical e corajosa em sua carreira profissional. Nem bem acabou de se formar em Fisioterapia, depois de cinco anos de estudos, ela prestou outro vestibular, e está cursando Engenharia de Produção. 

A decisão de migrar da área de saúde para as ciências exatas foi tomada quando sentiu que o fisioterapeuta não é valorizado pelo mercado.

Antes mesmo de se aventurar à procura de trabalho, ela foi à luta em um novo curso, em área que só tende a crescer. E não se arrepende: está adorando a Engenharia. 

Já fez estágio em obras de construção civil e quer se especializar em gestão de projetos, trabalhar com orçamentos, custos.

Moradora do Gutierrez, Paula faz questão de passear todos os finais de semana com seu shitsu Hashi, de dois anos de idade. 

Gosta de variar, vai muito à Praça da Liberdade, mas ama o espaço amplo e a facilidade de estacionamento no Parque da Barragem. (post Tetê Rios)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Maria Edwiges, a homeopata cura alergias de crianças


Wagner Barroso de Araújo e Maria Edwiges Coelho Barroso (foto) são habitués do Parque da Barragem aos fins de semana. 

Ele é especialista em Informática, ela médica homeopata. Moradores do Luxemburgo, são pais de Paulo, economista recém-formado, já cursando mestrado, e Pedro, que acaba de se formar em Medicina e faz residência em neurocirurgia. 

O casal sempre aproveita o sábado e o domingo para caminhar pela pista, já que, durante a semana, os horários não permitem os exercícios.

Apaixonada pela homeopatia, Edwiges conta que se especializou nesta área da Medicina depois de se desiludir com a tradicional. “Me cansei de não curar as pessoas”, explica. 

No início, diz que enfrentou o maior preconceito por parte dos próprios colegas, que não viam a área com bons olhos.

Mas diz que conquistou principalmente as mães de crianças alérgicas, para quem a homeopatia é a solução, especialmente para os casos de doenças respiratórias das áreas superiores, como a rinite, e também nos casos de alergias. 

A homeopatia, uma área que é preventiva por excelência, dispensa os antibióticos e promove a cura de todo o corpo, ensina a especialista.

“Para mim, a maior felicidade é ver as mães felizes, com seus filhos livres de doenças que, tratadas tradicionalmente, exigem o uso quase que constante de antibióticos e anti-inflamatórios”, comemora a médica. (post Tetê Rios)

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

A economista quer o Parque vibrante e seguro todas as noites


Jussara Bartels (foto) é economista, mas está abraçando outra profissão: começou a cursar Contabilidade, uma área que, a seu ver, oferece mais oportunidades de trabalho na área privada, onde prefere atuar. 

“A Economia é um campo bom para pesquisa e no setor público, duas áreas que não me atraem”, confessa.

Moradora do Santo Antônio, pertinho da Avenida Prudente de Morais, todos os dias Jussara passeia pelo Parque da Barragem com a beagle Luma

Antes, vinha a pé, mas, como a cachorrinha envelheceu (está com 11 anos), agora pega o carro para percorrer poucos quarteirões, de forma a não cansar o animalzinho.

Frequentadora do Parque há mais de 20 anos, Jussara caminhava por aqui todas as noites, mas a insegurança fez com que mudasse seus horários. 

Agora, vem pela manhã e, quando não tem tempo, prefere a Avenida Bento Simão. “É muito triste, antes as noites por aqui eram uma festa, ficava lotado. 

Mas a violência expulsou os frequentadores noturnos. Que migraram para a Bento Simão”, lamenta, fazendo questão de destacar que nunca foi assaltada ou presenciou qualquer tentativa de assalto.

Ao saber dos projetos do Novo Parque, a economista se entusiasma, aplaude a ideia e sugere um novo projeto paisagístico. “Nosso potencial aqui é imenso, é só saber aproveitar”. (post Tetê Rios)

domingo, 17 de agosto de 2014

Justiça do Trabalho, ágil em Minas, morosa em Brasília


Jairo Augusto Tanure (foto) é advogado, especialista em Direito Trabalhista. Atua essencialmente na área corporativa, como funcionário de uma empesa que atende a grandes corporações. 

Embora defenda os patrões, Jairo diz que a Justiça, atualmente, tende a proteger integralmente os direitos dos empregados.

Ele elogia a Justiça do Trabalho de Minas, uma das mais ágeis do país. O problema, segundo ele, é quando há recursos e os processos estacionam em Brasília, no TST. 

O motivo, todos sabem: excesso de ações trabalhistas e carência de efetivo. 

O resultado, um drama para milhares de trabalhadores brasileiros que tiveram de recorrer ao Judiciário em algum momento de suas vidas, e sofrem com a morosidade, processos que se arrastam por anos e anos, sem julgamento definitivo nos anais superiores.

Pai de Pedro Augusto, de três anos e meio, Jairo é um habitué do Parque da Barragem aos fins de semana. Morador do Bairro Santa Lúcia, ele traz o filho todos os sábados e domingos para passear por aqui

sábado, 16 de agosto de 2014

Garça, patos e agora gansos. A família cresce na Barragem


Um casal de gansos veio se juntar aos habitantes da lagoa do Parque da Barragem. 

Não se sabe de onde surgiram, se são domésticos, mas o fato é que passaram a conviver pacificamente com os patos e a garça, que reina solitária e absoluta há tempos, para deleite dos caminhantes e, principalmente, da criançada. 

Moradores da grande cidade, muitos nunca tinham visto um ganso, e curiosos, queriam se aproximar das aves.

Os gansos vêm sendo usados como aves de guarda, especialmente no meio rural, onde espantam quem chega sem ser convidado. Têm baixo custo e requerem poucos cuidados, mas fazem barulho sempre que alguém entra em sua área e, por isso, são conhecidos como "sinaleiros".

Diferentemente de outros animais de guarda, principalmente o cão, o ganso tem um campo de visão melhor e um olfato também aguçado

E é um animal que fica alerta dia e noite. E o barulho que ele faz é exatamente para dar o alarme, como uma sirene. (post Tetê Rios)

PMs agora vão de moto para o Parque. E a tranquilidade continua


O Parque da Barragem ganhou reforço de policiamento. A bordo de suas motos de 150 e 300 cilindradas, os soldados Claudinei e Guilherme, do 22º Batalhão da Polícia Militar, cumprem plantão de manhã até a tarde nas proximidades dos campos de futebol. 

O objetivo, além do policiamento ostensivo, é poder agir com rapidez e maior mobilidade que as patrulhas de carro, no caso de tentativas de assalto. 

Os dois policiais garantem que, até agora, felizmente, não atenderam a nenhuma ocorrência no local. (post Tetê Rios)

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Isenção do Imposto de Renda para pessoas com mais de 65 anos de idade


Os idosos brasileiros, principalmente aqueles com mais de 65 anos de idade, estão enfrentando a nova crise econômica e política brasileira com mais dificuldades.

Especialmente aqueles que estejam doentes, enfrentando tratamentos com remédios controlados e preços descontrolados

Ou que tenham assumido novamente o controle da própria casa, com filhos que saíram e voltaram trazendo os netos, ou que nem tenham saído de casa por falta de empregos.

A realidade é que os aposentados não têm os reajustes a que fazem jus. Além disso, não é justo cobrar imposto de renda daqueles que contribuíram a vida inteira e hoje vivem com renda mínima. E ainda pagam imposto sobre a renda. Mas que renda?

Assine a petição da comunidade na AVAAZ.ORG, que já recolheu 119.067 assinaturas e vai levar o projeto de lei para o Congresso Nacional.

Eu, Eustáquio Augusto dos Santos (foto), editor deste Blog Parque da Barragem, já assinei.

Assine você também. E nem precisa ter mais de 65 anos. A assinatura vale para os maiores de 16 anos, os eleitores brasileiros.

https://secure.avaaz.org/po/petition/ISENCAO_DO_IMPOSTO_DE_RENDA_PARA_PESSOAS_COM_MAIS_DE_65_ANOS_DE_IDADE/?tzAwbfb


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O engenheiro Diogo já jogou vôlei e hoje constrói estradas, pontes e viadutos


Diego Pontes (foto) nasceu e foi criado em Brasília. Filho de mãe mineira e pai cearense, casou-se com uma mineira e há dois anos deixou a capital federal para morar em Belo Horizonte.

Escolheu a Vila Paris para criar a pequena Anita, sua única filha, de quatro anos. Ex-jogador de vôlei, formou-se em Engenharia Civil e trabalha em uma empresa especializada em planejamento de obras da construção pesada.

Diego planeja estradas, pontes e viadutos, e viaja muito pelo país. Reconhece que o setor atravessou momentos difíceis nos últimos dois anos, mas acredita que agora o segmento começa a entrar em uma nova fase, mais promissora.

Sobre a queda do viaduto da Avenida Pedro I, Diego prefere não dar opinião: fiquei sabendo das notícias por meio da imprensa, cada um fala uma coisa, é muito difícil opinar. 

Nestes momentos, fica difícil achar quem errou, se houve apenas um erro”, afirma.

Frequentador assíduo do Parque da Barragem, Diego gosta de correr pela pista, mas é nos fins de semana que curte bons momentos ao lado da filhota, a quem ensina as primeiras pedaladas. (post Tetê Rios)