sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Carolina não sofre mais com dores. Ela resolveu caminhar e se exercitar


Carolina Soares de Amorim (foto) padeceu durante anos com dores nas pernas, nas costas, na coluna. Perdeu a conta dos médicos que procurou, das consultas a que se submeteu, dos medicamentos que tomou. Vivia triste e infeliz.

Até que decidiu atravessar a rua e começar a se exercitar no Parque da Barragem. A cura veio em pouco tempo. Livrou-se das dores, conquistou a tão desejada qualidade de vida, dorme bem, é bem humorada, sente-se mais feliz, apesar dos problemas familiares que enfrenta no dia a dia.

A rotina é sempre a mesma. Faça chuva ou faça sol, lá está ela. Logo pela manhã, se aquece nos equipamentos. Depois, caminha por quase uma hora e termina com uma corrida prolongada. 

Aos 50 anos, passa cerca de duas horas no parque, todos os dias. 

Com esta receita simples, confessa estar curada e aconselha a frequência ao Parque contra as doenças que afligem o corpo e a mente. (post Tetê Rios)

Mauro e Bruna trocam figurinhas até hoje!


Técnico industrial, Mauro Nogueira Couto (foto) também se envolveu na troca de figurinhas para montar o álbum da filha
Bruna, de 10 anos. Morador da Serra, ele é um frequentador assíduo do Parque da Barragem aos fins de semana.

“Quem tem crianças tem de procurar praças e parques, e aqui o espaço é muito bom para trazer a bicicleta”, diz ele. 

Depois que começou a ajudar a filha a montar o álbum da Copa, o fim de semana ficou dedicado às trocas na banca. Os dois vieram ao posto de troca por umas cinco vezes, e sempre voltavam para casa com novas figurinhas.

Apesar do fim do Campeonato, eles ainda conseguiram boas trocas para completar o álbum, já no finalzinho, faltando apenas meia dúzia de figurinhas. (post Tetê Rios)

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Rafaela orienta artistas em suas finanças


Que todo artista tem dificuldade para lidar com dinheiro é um fato inquestionável. Partindo desta premissa, a atriz mineira Rafaela Cappai (foto) inaugurou a Espaçonave, uma empresa de consultoria que ajuda os artistas a viverem da própria arte.
 
Nascida em BH, criada no São Bento, Rafaela vive hoje em São Paulo, mas sempre que pode, aproveita momentos de folga na capital mineira para curtir o parque com a poodle Pipoca, de 14 anos, e o vira-lata Tyson.
 
Formada em Jornalismo, com mestrado em Marketing em Londres, Rafaela tem, entre os seus clientes, designers, ilustradores, músicos e atores. Ela também dá aulas online, ensinando que é possível, sim, sobreviver dos próprios dons.
 
Quem quiser saber mais, é só acessar o site www.espaconave.com.br. (post Tetê Rios)

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Raul Medina, o engenheiro e sua pequena Alice


Raul Medina é engenheiro elétrico. Formou-se pela Universidade Federal de Juiz de Fora e trabalha na Construtora Andrade Gutierrez. Morador do Bairro de Lourdes, seus fins de semana são integralmente dedicados à pequena Alice.

E o local que ela mais gosta para curtir o sábado e o domingo é o Parque da Barragem. Com três anos e meio, Alice não para um segundo. Corre, pula, rola, exige o cuidado constante do pai. Para Raul, o parque é o local ideal para crianças pequenas. 

“O espaço é aberto, tem o lago, muitas crianças, é muito saudável”, observa, atento às peraltices da pequena, que exige sua atenção o tempo todo. (post Tetê Rios)

terça-feira, 29 de julho de 2014

Maria Flávia, uma psicóloga às voltas com a solidão dos outros


Maria Flávia Drummond Dantas (foto) é psicóloga clínica e, no seu dia a dia, se vê às voltas com as grandes questões que afligem o homem contemporâneo, entre elas os desencontros amorosos, o individualismo, a solidão, a competitividade dos tempos modernos.

As pessoas estão insatisfeitas especialmente com a falta de reconhecimento profissional”, constata.
 
Para ela, a Seleção Brasileira é o retrato de como andam os brasileiros: cada um quer marcar o seu gol, mas a equipe não funciona.  
 
Moradora do São Bento há mais de 30 anos, ela conhece quase todo o Brasil e viaja constantemente ao exterior. Acaba de voltar de um giro pelo norte europeu, encantada com a solicitude, a educação e as belíssimas paisagens daquelas bandas.
 
Mas, para ela, não há nada que se compare a uma boa caminhada pelo Parque da Barragem.
 
“Eu amo isto aqui”, diz Flávia, para quem a diversidade é o melhor deste cantinho todo seu. Na sua opinião, brasileiro volta o seu olhar para os outros, não valoriza as belezas que tem por aqui. “Viver aqui é  muito bom”, diz ela. 

segunda-feira, 28 de julho de 2014

E os motoristas e trocadores do 9101, como ficam?


Há dois anos moradores do bairro São Bento solicitam junto à BHTrans e Prefeitura de Belo Horizonte que coloque na Avenida professor Cândido de Holanda, no ponto final do ônibus 9101, uma cabine para que os motoristas possam usar como banheiro e escritório, evitando, portanto, o mau cheiro e promovendo a saúde pública e higiene no local.

E não é que agora foi instalada uma cabine de segurança de uma empresa privada em cima do passeio (GT Serviços Terceirizados Ltda), sem banheiro, sem higiene e contra a lei?

As guaritas de segurança em vias públicas são proibidas pelo Código Municipal de Posturas.

Segundo a Secretaria Municipal de Regulação Urbana, a Lei de Uso e Ocupação do Solo (7.166/96) permite o equipamento “apenas no afastamento frontal das edificações, ou seja, é proibida a construção no passeio”.

Num momento no qual a Prefeitura anda multando proprietários que não cuidam de seus passeios, poderia ser estudada uma situação intermediária, de cabine de segurança, banheiro e estar para motoristas.

Com a palavra, o prefeito Marcio Lacerda.

A Copa acabou, mas a troca de figurinhas, não


A saudável mania de trocar figurinhas para montar o álbum da Copa do Mundo atingiu adultos e crianças, mas não acabou nem com o fim do Campeonato. Nos fins de semana, um alegre e ruidoso grupo ainda se encontra em frente à banca do Parque.

A estudante Flávia Bastos de Freitas, com a filha Helena Freitas Fonseca (foto), de 8 anos, descobriu o posto de trocas no último domingo, e, em apenas meia hora, já tinha trocado 50 figurinhas que faltavam para completar o álbum que as duas formam juntas.

Moradora do Bairro Funcionários, Flávia, que se forma em Direito no final do ano, diz que é impossível não se envolver com o álbum, iniciado pela filha mas já quase completo com a sua ajuda. “A gente se envolve”, sorri.

Ao seu lado, Munira Emediato completava um álbum para o sobrinho, depois de fechar um para si própria. Moradora do Prado, tornou-se frequentadora assídua da Banca do Parque. “Não gastei com a compra de figurinhas, apenas fiz trocas. O melhor foi a integração, as novas amizades que fiz por aqui”, afirma ela, que se esconde da câmera. “Não gosto de ser fotografada”, explica.  (post Tetê Rios)

domingo, 27 de julho de 2014

Aguinaldo chega de madrugada e caminha em grupos


Eles começam a chegar por volta das 5h30m. Formam um grupo de umas 12 pessoas e a maioria nem tem horário para bater o ponto, desde que já se aposentaram. 

Mas gostam de caminhar cedinho. Ainda está escuro quando iniciam suas caminhadas.

Por isto mesmo, evitam as proximidades do campo de futebol e andam sempre em grupos. O técnico de telecomunicações aposentado Aguinaldo Ribeiro (foto)  é um deles. Morador do São Bento, há dez anos ele bate ponto todos os dias na Barragem.

Observador, constata a queda da depredação das árvores do Parque, antes castigadas pelos menores que viviam a quebrar galhos e a destruí-las. 

Acredita que isto acontece devido à conscientização ambiental nas escolas.
Mineiro de Caxambu, Aguinaldo é pai de três filhos e está esperando seu primeiro neto, que chega em outubro. 

Na sua opinião, a Prefeitura deveria instalar mais equipamentos de ginástica no Parque,  e também providenciar a colocação de bancos de madeira, além de voltar com os pedalinhos, para promover a socialização e a integração das crianças moradoras do Aglomerado com os frequentadores daqui. Fica a sugestão! (post Tetê Rios)

sábado, 26 de julho de 2014

Caminhadas, dieta e alegria, esta a receita de Maria para a felicidade


Maria de Fátima Silva (foto) mora no Bairro São Pedro e, três vezes por semana, vem a pé de casa para uma longa caminhada no Parque. 

Há um ano, bem no início da manhã, ela anda por uma hora e meia, desde que exames de rotina detectaram índices de colesterol acima do desejado.

Avessa à disciplina da academia, decidiu caminhar e, desde então, perdeu sete quilos. 

Aliada aos exercícios, adotou uma dieta mais saudável, aboliu as frituras, as pizzas, os sandubas, os refrigerantes e rendeu-se aos alimentos integrais, às verduras e às saladas, e diz que se sente mais feliz.

“Atualmente durmo muito bem, acordo bem mais disposta, e fico radiante ao poder usar novamente roupas que estavam encostadas no guarda-roupas”, comemora. Com as taxas de colesterol reduzidas, Fátima não quer mais parar de se exercitar. (post Tetê Rios)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Marcial e Auxiliadora, madrugadores e precavidos

Moradores do Luxemburgo, a dentista Auxiliadora Coutinho de Godoi e o marido, o advogado Marcial Godoi (foto), compõem a turma dos madrugadores do Parque da Barragem.

Quase todos os dias, a partir das 6h, o casal se exercita em caminhada com passos rápidos. Às 7h deixam a pista, para mais um dia de labuta. 

Os horários de Auxiliadora são mais apertados, com a clientela do consultório determinando o número de voltas em torno da lagoa.

Precavidos e assustados com as notícias de casos de assaltos com amigos caminhantes, eles se juntam aos pequenos grupos dos que chegam bem cedinho. 

Nunca foram assaltados, mas confessam que têm um certo receio por conta do horário, quando a PM ainda não está de plantão para proteger os frequentadores. (post Tetê Rios)